Ciclistas se reúnem em Nova Veneza para desafio de 60 km e para debater condições de mobilidade

0
Slider

Delegado Ulisses Gabriel, presidente licenciado da Adepol, foi convidado para falar sobre segurança e trafegabilidade

Aproximadamente 200 ciclistas aproveitaram o primeiro dia de julho para se reunirem durante o Desafio Dos Amigos Unidos do Pedal realizando em Nova Veneza, na localidade de São Bento Baixo. Os participantes percorreram 60 quilômetros pelos belos vales do Sul de Santa Catarina e também aproveitaram o evento para discutir o tema da segurança nas estradas.

Segundo dados do Sistema de Informações Hospitalares do SUS (SIH) e do Sistema de Informação sobre Mortalidade (SIM), somente no ano passado 82 ciclistas morreram em estradas catarinenses vítimas de acidente de trânsito. No Brasil, registros apontam que 32 ciclistas são internados por dia devido a acidentes.

“O ciclismo é um esporte limpo e além de tudo, está sempre atrelado com desenvolvimento sustentável. Nossa região tem atrativos que tornam a prática ainda mais prazerosa, temos sorte de termos isso tão perto”, destacou Alberto Ranacoski, popularmente conhecido como Betão, organizador do evento.

Convidado a participar do evento em Nova Veneza, o presidente licenciado da Associação dos Delegados de Santa Catarina, Ulisses Gabriel, relatou que é preciso que o poder público leve a sério os índices que englobam violência e acidentes nas estradas.

“Os ciclistas precisam, antes de tudo, de segurança e respeito, estes pontos envolvem desde as condições das vias para tráfego até locais em que as pessoas possam se movimentar livremente sem receios de assaltos ou qualquer tipo de violência. Precisamos desenvolver uma solução inteligente junto ao poder público e que realmente saia do papel”, declarou Ulisses

Conforme o delegado, o ciclismo é um exemplo mundial de sucesso não apenas quando se trata de qualidade de vida por conta do esporte, mas também por ser uma alternativa sustentável à mobilidade urbana. “Exemplos positivos não faltam, principalmente em locais desenvolvidos. É preciso uma cobrança efetiva para que a nossa realidade venha a ser menos violenta e se torne mais prazerosa, o ciclismo também é um caminho, mas para isso precisamos dar estrutura para as pessoas”, pontuou.

Slider

DEIXE UMA RESPOSTA

Digite seu comentário!
Digite seu nome aqui