Clareamento com carvão ativado: mito ou verdade? | Por Rodrigo Subtil

0
Slider

É só abrir as redes sociais para ver Influenciadores Digitais utilizando uma pasta para clarear os dentes de carvão, prometendo ser a 8° maravilha do mundo e de baixo custo. Se você gastou dinheiro com isso, eu sinto muito mas você foi enganado!

O carvão não funciona como agente clareador e ainda pode causar alergias e até mesmo lesões gengivais devido ao poder abrasivo da pasta associado à dureza das cerdas da escova de dente. Na verdade, a maioria das pessoas pensa que substâncias mais abrasivas agem de maneira eficiente na mudança de tonalidade e com o carvão não é diferente.

A pasta tem uma ação de limpeza maior devido às partículas presentes e, além disso, dão a sensação de dentes mais claros quando em contato com os tecidos moles, tornando-os mais escuros. É uma questão de contraste, do mesmo jeito que temos a sensação de dentes brancos ao usarmos batons vermelhos ou quando analisamos os dentes de pacientes negros.

Não há pesquisa sobre a eficácia do método de carvão ativado para clareamento e sua utilização causa desgastes no esmalte, o que torna os dentes sensíveis, bem como pigmentação de materiais restauradores existentes.

Os estudos provam que o que clareia dente é a ação de peróxidos na camada dentinária, onde a reação química do principio ativo produz moléculas de oxigênio que, ao sair de dentro da estrutura, carregam consigo as moléculas do pigmento.

Sendo assim, descarta-se qualquer tipo de procedimento no qual o produto age de fora pra dentro (na superfície do esmalte), como o caso de pastas à base de carvão ativado e outras substâncias, como a cúrcuma, casca de banana, etc. Quando o assunto é clareamento ainda há pessoas que preferem os meios mais baratos para tentar, de alguma forma, alterar a coloração dos dentes.

Mas qual o motivo pelo qual não se deve fazer um procedimento assim sem a supervisão de um profissional?

Uma avaliação criteriosa precisa ser feita para identificarmos lesões cervicais pré-existentes, materiais restauradores nos elementos que compõe o sorriso estético (todos os que aparecem quando o paciente sorri), qualquer tipo de alteração tecidual em mucosa e relatos de alergias dos pacientes a qualquer componente utilizado durante o tratamento. Também orientamos o paciente em relação à quantidade de produto utilizado e a forma correta de aplicá-lo nos dentes, evitando queimaduras e deglutição, o que pode ocasionar irritações gástricas.

Para um tratamento duradouro e seguro, jamais entre nas modas da Internet!

Procure um profissional e siga as orientações para um sorriso bonito e saudável!

Slider