Diocese de Criciúma celebra ordenação de Padre Claiton

0
Foto: Divulgação
Slider

A igreja matriz São Donato, no centro de Içara, ficou repleta de fiéis de diversas paróquias da Diocese de Criciúma, que estiveram reunidos para participar da missa com o rito de ordenação presbiteral do até então diácono Claiton Silva da Conceição, 33 anos. A celebração eucarística aconteceu nessa sexta-feira, dia 16, e foi presidida pelo bispo Diocesano, Dom Jacinto Inacio Flach.

O candidato ao presbitério foi apresentado ao episcopo pelo pároco da Paróquia Nossa Senhora da Saúde, onde Claiton atua, padre Samuel Colombo Pirola. Dom Jacinto iniciou sua homilia destacando que em todas as obras o amor deve prevalecer. “A humanidade precisa aprender, acima de todas as coisas, que se não tiver amor, para Deus não vale. Seja no trabalho, nas coisas do dia a dia, tudo deve ser feito com amor, se não acaba caindo no vazio. E quando estamos no amor o coração de Deus se enche de alegria”, pontuou o bispo.

Claiton escolheu para a vivência do seu ministério sacerdotal o lema “No coração da Igreja minha mãe, eu serei o amor”, extraído dos registros autobiográficos de Santa Teresinha do Menino Jesus. “Estamos contigo nessa noite e no teu ministério, isso é uma festa do céu acontecendo aqui na terra entre nós, como já nos dizia o Papa São João Paulo II ‘a missa é sempre um pedacinho do céu na terra’ e estamos ligados ao céu do qual iremos alcançar se vivermos no amor”, concluiu o epíscopo.

O rito da ordenação

Seguindo o rito, após a homilia, o diácono fez o diálogo de compromisso e se prostrou diante do altar, durante a ladainha de todos os santos. O candidato foi ordenado presbítero com a imposição das mãos do bispo sobre sua cabeça e a oração consecratória. Em seguida, foi revestido com os paramentos sacerdotais, com auxílio de seus familiares. Padre Claiton teve as mãos ungidas com o óleo do Crisma e enlaçadas pelo bispo.

Ao final da missa, houve o momento de agradecimento do novo padre. “Como Santa Terezinha, no meio do povo, quero ser a experiência fecunda do amor de Deus, pois só o amor é fecundo, nele se englobam todos os dons, sem o amor nós não vamos longe, o que move a Igreja deve ser o amor. Nos meus nove anos de formação muita gente foi sinal do amor de Deus na minha vida e por isso quero manifestar a minha gratidão, primeiramente a Deus, autor da minha história e de tudo o que está acontecendo, só posso corresponder a este amor dando a minha vida”, disse o neo-sacerdote.

Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
Foto: Divulgação
fonte: Notisul
Slider