Laser íntimo: por que vale a pena fazer?

0
Slider

As mudanças no corpo feminino levam a vagina a perder elasticidade e firmeza. Isso faz com que as mulheres sofram com problemas como incontinência urinária leve, ressecamento da região, dor durante a relação sexual, entre outros efeitos.

Uma das possibilidades de cuidado é o laser íntimo ou intravaginal. O tratamento é internacionalmente famoso e oferece bons resultados. A seguir, conheça melhor o laser intravaginal.

O que é o laser íntimo?
A terapia tem característica não invasiva e é chamado de laser íntimo ou intravaginal. Ele oferece a emissão de pulsos Laser, o qual gera uma mudança de temperatura na região vaginal.
Como consequência, há um aumento na vascularização, a qual é perdida em situações como após certos partos ou no período da menopausa. Como resultado, há o estímulo para a formação de novas fibras conjuntivas, o que melhora a elasticidade.

Como é feita a aplicação?
O laser intravaginal é aplicado com a ajuda de um espéculo, com a paciente deitada em posição ginecológica. A sessão dura de 10 a 20 minutos, no máximo.
Essa técnica não causa dor ou incômodo e nem exige cuidados específicos pós-tratamento.
Dr Richard Coan Cardoso, médico ginecologista relata que com a aplicação adequada, o tratamento ajuda a combater a síndrome de relaxamento vaginal. Ela acontece quando a estrutura original é perdida, como por causa de um parto normal com grande pressão. A queda hormonal na menopausa também impacta a plasticidade e a forma do canal vaginal.
Com o bom emprego do laser, há a otimização da maleabilidade da pele, umidificação da região e redução de incômodos ou pruridos. O laser é capaz de remodelar a estrutura vaginal, de modo a garantir bons resultados para o corpo feminino.
Há um ganho na espessura da região, uma melhoria na vida sexual e maior segurança no cotidiano — especialmente, em relação à questão da incontinência urinária leve.
O tratamento é ótimo também para as mulheres na menopausa. Isso porque a queda hormonal naquele período impacta a plasticidade e a forma do canal vaginal.

Outra indicação é para a Síndrome Gineco-Urinária ou síndrome geniturinária (SGU), que corresponde às mudanças que a diminuição dos níveis dos hormônios sexuais durante o climatério provoca no aparelho genital ou no trato urinário inferior. Entre as possíveis características, há a atrofia vulvovaginal, a secura na região, alterações nos lábios maiores e menores, entre outros problemas no vestíbulo, na vagina, bexiga e uretra.
Como realizar o tratamento? A CLÍNICA da MULHER oferece o tratamento de forma segura, indolor e com ótimos resultados. Basta ter o exame preventivo, com validade de 2 anos.
O laser íntimo ou intravaginal é muito importante para garantir a elasticidade da estrutura e o conforto feminino. Com a realização adequada, há um aumento na qualidade de vida das pacientes.
Quer saber mais?
Ligue no 3466 1264 Clínica da MULHER Edifício Pro Saúde em Orleans-Sc

Slider