Quase 170 anos de prisão para 23 réus em sentença por tráfico da comarca de Araranguá

0
Imagem ilustrativa da internet
Slider

O juízo da 2ª Vara Criminal da comarca de Araranguá condenou, nesta semana, 23 réus a penas que, somadas, alcançaram 167 anos, nove meses e 14 dias de prisão. Entre os condenados, 19 eram integrantes de associação criminosa voltada para o tráfico de drogas.

Os réus responderam pelos crimes de organização criminosa, tráfico ilícito de entorpecentes e associação para o tráfico. A denúncia foi julgada parcialmente procedente em menos de um ano e quatro meses após seu recebimento. Entre os réus, as penas individuais variaram de dois a 11 anos de reclusão.

A investigação do caso foi realizada pela Divisão de Investigação Criminal (DIC) de Araranguá, por meio da chamada “Operação Armagedom”, a qual perdurou desde o início de 2017 até 12 de março de 2019, data em que foi deflagrada a operação e cumpridos diversos mandados de busca e apreensão e prisão em desfavor dos investigados. Diversos bens móveis e imóveis, assim como valores em conta corrente, foram apreendidos ao longo do processo.

Boa parte dos condenados permanecerão presos mesmo se recorrerem da decisão, diante do fundado receio de que, soltos, retornem à prática delituosa. Cabe recurso da decisão ao Tribunal de Justiça. O processo, que tramitou em segredo de justiça, foi julgado pela juíza Thania Mara Luz quando ainda exercia a titularidade da 2ª Vara Criminal de Araranguá. A magistrada acaba de ser promovida para a 1ª Vara Criminal daquela comarca.

Conteúdo: Assessoria de Imprensa/NCI

Slider