Saúde bucal x Covid-19 | Por Rodrigo Subtil

0
Slider

Em tempos de pandemia mundial a rápida transmissão do coronavírus se tornou uma realidade e o melhor tratamento é a prevenção da doença. Além das informações de isolamento social, recebemos orientações para evitar qualquer tipo de contato, como apertos de mão, abraços e beijos e reforçar os cuidados com a higiene pessoal e bucal.

A rotina diária de higiene bucal também é importante, e os cuidados devem ser redobrados, uma vez que, a porta de entrada da infecção é o trato respiratório superior, boca (dentes, gengivas, língua), faringe (garganta) e pulmões. Estudos mostram que os fluídos da boca e do nariz são as maiores fontes de disseminação de corona vírus, que podem sobreviver por mais de 24 horas em temperatura ambiente no metal, vidro, plástico, inclusive nas superfícies plásticas da cabeça da escova, cabo e cerdas de nylon, tornando um local perfeito para encontrar esse vírus, além da gripe comum, herpes bucal, entre outros.

Pacientes com cardiopatias associadas, como a hipertensão arterial sistêmica, são considerados grupos de riscos, pois ao contrair a infecção, possuem maior possibilidade de óbitos, principalmente em faixa etária maior, como os idosos.
A saliva abriga inúmeras bactérias, o que faz com que a boca seja um ambiente favorável para a proliferação e crescimento de outros microrganismos, como o corona vírus. Além disso, a falta de higiene e saúde bucal pode fazer com que a imunidade fique baixa, aumentando os riscos de infecções e lesões em boca.

Uma rotina adequada com técnica de escovação correta, uso do fio dental e do enxaguante bucal, ajuda a evitar a transmissão da doença. Uma rotina adequada com técnica de escovação correta, uso do fio dental e do enxaguante bucal, ajuda a evitar a transmissão da doença.

1. Escovar os dentes – escova de cerdas macias com creme dental, todos os dias após as refeições e principalmente antes de dormir.
* Após a escovação lave a escova em água corrente, garantindo a remoção dos resíduos que sobram da escovação, não devemos enxugar na toalha que utilizamos para enxugaras mãos e o rosto, local com bactérias, que podemos transferir para a escova dental.
* Limpeza: Borrifar álcool a 70% ou água oxigenada a 0,5% sobre toda superfície da escova (cabeça,cerdas e cabo), por 1 (um) minuto, pois o vírus tem baixa resistência a essas substâncias desinfetantes e após, lavagem em água corrente.
* Armazenamento – Ao contrário do que muitas pessoas pensam, guardar a escova de dentes na gaveta,armários ou com protetores não é o mais indicado, pois são lugares quentes e úmidos, que aumentam a proliferação de bactérias, porém deixar em cima da pia,também requer certos cuidados.
Guarde em um copo ou outro recipiente qualquer, com as cerdas voltadas para cima,tomando o cuidado de manter as escovas separadas dos outros membros da família,ou seja, um copo para cada escova de dentes. Devemos prestar atenção com a proximidade do vaso sanitário, no momento da descarga, joga para o ar partículas, um spray de germes, ocasionando viroses intestinais.
Validade – Trocar a escova de dente regularmente (a cada dois ou três meses), assim que você perceber sinais de desgaste das cerdas, ou ainda se aparecer sinais de gripe ou resfriado. Não emprestar a escova de dente para outra pessoa, mesmo sendo da família – uso individual.

2. Usar fio dental, antes da escovação – garante a limpeza correta em locais da boca que a escova não consegue atingir, remove restos de alimentos entre dentes;
3. Higienizar a língua – com raspador de língua específico ou mesmo escova de dente iniciando a ação de limpeza da parte mais posterior da língua para a ponta da língua;
4. Uso de enxaguante bucal, quando recomendado pelo dentista;
5. A higiene das próteses dentais, pode ser realizado com escovações diárias, após as alimentações, com escova individual (apenas para a prótese) de cerdas macias, sabão neutro e lavagem em água corrente.
Podemos associar o uso de produtos de higiene com imersão em substâncias químicas, que são de fácil utilização, e ajudam no controle maior de bactérias, com boa efetividade e baixo custos. Dentre eles: hipoclorito, peróxidos alcalinos,ácidos diluídos, enzima e clorexidina.
* As próteses removíveis devem ser retiradas ao dormir, e deixá-las em um copo com água com ou sem produtos químicos.
* Dica:Dissolver uma colher de chá de hipoclorito de sódio (água sanitária) em copo com água por 15 minutos, ao mínimo 1 por semana.
Lembre-se: Esta infecção não tem cura, vacina ou medicamento já desenvolvido e comprovado cientificamente,  recomenda-se seguir, rigorosamente, todas as orientações da Organização Mundial de Saúde e Ministério da Saúde.

Slider