Urussanga é o primeiro do Sul em geração de emprego

0
Slider

O Município de Urussanga segue em evidência entre os 27 integrantes da Associação dos Municípios da Região Carbonífera (AMREC) e da Associação dos Municípios do Extremo Sul Catarinense (AMESC). Desta vez o destaque vem com o saldo positivo quanto à geração de emprego mesmo diante da pandemia gerada pela COVID-19, deixando a capital catarinense do bom vinho em primeiro lugar.

Dados apresentados pelo Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (CAGED) apontam que enquanto Urussanga obteve saldo positivo de 18 novos empregos no mês de maio e a AMREC o resultado de 1.380 negativos. Já no acumulado do ano, o Município também está no topo com a geração de 118 empregos, enquanto na AMREC os dados são de menos 2.269 vagas. O mesmo acontece com a AMESC, menos 687 vagas em maio e menos 877 postos de emprego no acumulado do ano.

Diversos fatores contribuem para este importante resultado entre eles a isenção de impostos para os micro empreendedores individuais, alvará mais em conta, ou seja, adequação de lei deixou os alvarás com valores mais baixos sem aumentar outros impostos, a realização do planejamento estratégico para os próximos 20 anos. Isso e muitas outras ações efetivadas fazem com que Urussanga alcance este resultado.

A tendência é de que estes números cresçam ainda mais, pois a área industrial foi construída e as empresas estão se instalando, o que fará com que os números de vagas de emprego cresçam. Sem contar que a Ceusa/Duratex vai duplicar sua produção levando a acreditar em mais contratações…

Empregos formais

Entre janeiro de 2014 e dezembro de 2016 Urussanga teve recessão de empregos com menos 701 vagas. A partir de outubro de 2017 o Município iniciou uma clara recuperação de postos de trabalho. E até dezembro de 2019 atingiu um saldo positivo de 392 novas vagas. Somados aos números deste ano, 118 empregos de janeiro a maio, Urussanga totaliza 510 empregos formais diretos, isto é, a cidade saiu de um saldo negativo de 701 para 510 novos empregos.

Outros fatores contribuintes para este resultado:

– Ações de infraestrutura como, por exemplo, a pavimentação Rancho dos Bugres que permitiu a instalação de uma pizzaria no bairro.

– Zero aumento real de impostos;

– Revisão do Plano diretor que permite a geração de mais desenvolvimento econômico na cidade;

– Incentivos agrícolas como o valor das horas máquinas;

– Equilíbrio Fiscal da prefeitura, o que permite maiores em investimentos no Município:

– Redução de 50% no ISS;

– Não houve reajuste de tarifas, como da água.

Informações: Ascom | Prefeitura de Ururssanga

Slider